domingo, 11 de abril de 2010

No meio do caminho

Óh Drummond, merece até um beijinho...

No meio do caminho
No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.

Do livro, Alguma Poesia, de Carlos Drummond de Andrade

Obs: Poema que se tornou popular. Quem é que não tem uma pedra no meio do caminho? No meu caso, tinha uma pedra no meio do caminho. Tinha!

4 comentários:

Priscila Rodrigues disse...

Hoje encontrei 1 pedra no caminha, ontem tinha 2, antes de ontem tinha 3, ou seja, amanhã não vai ter nenhuma. Pois se a fé move montanhas, quanto mais uma pedra.

Linda poesia, linda foto, amiga.

Um beijo grande.

Gilson Marcato disse...

Graça e Paz da parte de nosso Senhor Jesus Cristo, Fernanda.
Olha, visitei seu blog, li algumas postagens e quero dizer que você está de parabéns, seu blog é uma benção.
Este poema de Drummond é muito bonito mesmo.
Já estou seguindo o seu blog e ficarei honrado se você visitar o meu em http://tomandopossedabencao.blogspot.com/ e se gostar vier á segui-lo.

Abraças, fica na Paz do Senhor.

Gilson Marcato disse...

Graça e Paz da parte de nosso Senhor Jesus Cristo, Fernanda.
Olha, visitei seu blog, li algumas postagens e quero dizer que você está de parabéns, seu blog é uma benção.
Este poema de Drummond é muito bonito mesmo.
Já estou seguindo o seu blog e ficarei honrado se você visitar o meu em http://tomandopossedabencao.blogspot.com/ e se gostar vier á segui-lo.

Abraças, fica na Paz do Senhor.

Anônimo disse...

Olá Fernanda, bom dia!

Que você continue tendo muita alegria; criatividade;saúde, amor e paz!

Este artigo traz-me a lembrança uma música popular, bem antiga:..."Uma pedra do caminho...voce deve retirar...numa flor que tem espinhos...voce pode se arranhar...é preciso ter cuidado...pra mais tarde não sofrer...é preciso saber viver...Saber viver...". É do seu tempo? (risos).

Abraços fraternos, do amigo,

Luiz Augusto da Silva.
Olímpia - São Paulo.