sábado, 10 de setembro de 2011

A porta da casa


Por Fernanda Santiago Valente

A porta estava aberta escancaradamente. Parei. Esperei que alguém me convidasse a entrar, pois não queria incomodar. Pedi licença, entrei e me senti a vontade por ali estar.
A minha porta estava fechada e eu não estava nem com vontade de receber visita, mas deixei que entrasse devagar. De repente notei, que lentamente, a porta sempre esteve aberta e é apenas questão de deixar que tudo flua naturalmente. Só sai da sua casa quem quer. Só entra na sua casa quem você permite.
É isso que chamo de coração. Pessoas entram e saem sendo convidadas ou não. Algumas permanecem por questão de amor e compreensão. Outras ficam à vontade por saber que ali há amizade e perdão.
Mesmo que sua casa esteja bagunçada, mantenha a porta aberta, pois sempre surgirá alguém para lhe ajudar a fazer uma faxina, ou simplesmente ascender a luz!

4 comentários:

Fran Souza disse...

Fernanda, é um texto belíssimo. Você é uma inspiração pra mim.
Beijinhos
http://naosecompara.blogspot.com/

CARLOS E ERICA disse...

AI AMIGA QUE LINDO.....NOSSA ADOREI VIU......BJOS....

CARLOS E ERICA disse...

AI AMIGA QUE LINDO.....NOSSA ADOREI VIU......BJOS....

CARLOS E ERICA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.