segunda-feira, 28 de junho de 2010

Verde, amarelo, azul e branco

Por Fernanda Santiago Valente

Acorda Brasil!
Não durma mais eternamente
Largue o esteriótipo
de ser o país do samba,
da cachaça e do futebol
Seja sim o Brasil alegre
da generosidade, hospitalidade e amor
O Brasil verde, amarelo, azul e branco
Um simbolismo para cada cor
O verde da mata,
O amarelo do solo,
O azul das águas
e o branco estrelar
Este é o Brasil
Que precisa acordar
despertar e abraçar
As crisnças do sul ao nordeste
Que estão a se prostituir
Os jovens nas esquinas
entre as drogas a se destruir
A fome que gera a violência
Enquanto a mordomia do governo é intensa
Brasil!
Verde, amarelo, azul e branco
O verde é a esperança
O amarelo é a alegria
O azul é a sabedoria
e o branco, a limpeza
De toda a indiferença
O Brasil é colorido
É a nação da cultura e das variedades
Tem gente de toda parte
O Brasil dos índios, espanhóis e portugueses
O Brasil dos italianos, japoneses e afrodescendentes
O Brasil
Verde, amarelo, azul e branco
da religiosidade e das mistificações
O Brasil de Jesus
Que converterá corações
Para o eterno plano de Deus
É a hora do avivamento
É a hora da salvação
Jesus ama as diferenças
Jesus ama essa nação

Obs: A pedido da minha amiga Marcela para o Culto de Missões.

4 comentários:

Amanda Zanqui disse...

Simplesmente lindo!
Bjs

Anônimo disse...

Que coisa mais linda Fernandinha. Você é ótima minha querida

André

Anônimo disse...

Muito lindo e real é o seu poema.
Que você tenha saúde, paz e muito sucesso.

Hoje é o "Dia da Bandeira"

Que o lema "ORDEM E PROGRESSO" nela estampado seja o estímulo para que a nosso país seja governado com honestidade; verdade; igualdade e cumplicidade para o bem-estar da nossa sociedade...da nossa brasilidade.

Abraços com fraternidade.

Luiz Augusto da Silva.

Olímpia - São Paulo

Anônimo disse...

Por analogia:
"Dia da bandeira"

A Bandeira Nacional -Nosso Pálio Sagrado
Seja dobrado…Seja no relicário…Desfraldado…
Não será maculado enquanto existir um bravo…
Um único guerreiro! Um patriota! Um soldado!

(Autor:Luiz Augusto da Silva – poeta)